segunda-feira, 15 de agosto de 2022 - 15/08/2022 17:09:05
Portal Útil

Um fato é indiscutível: e-commerce e marketplace são meios de venda muito rentáveis. Principalmente após o período em que a humanidade esteve reclusa devido à pandemia do novo coronavírus.

O número de compradores virtuais aumentou em pouco tempo e lojistas viram no mundo online uma oportunidade de crescer e melhorar seus números. Para você ter uma ideia, apenas no primeiro semestre de 2020, cerca de 100 mil vendedores optaram por comercializar seus produtos de forma online, como mostrou o UOL.

Além do mais,  segundo o Cybersource, em 2020 houve um aumento de 30% na preferência dos consumidores por compras virtuais. Dessa forma, atualmente, aproximadamente 46% das pessoas preferem fazer suas compras sem sair do conforto de sua casa e sem precisar largar o celular.

Com tantos números favoráveis e um público cada vez maior, o que poderia dar errado? Fazer a aposta errada e ser “mais do mesmo” em um mar de lojas que é a internet. Dessa forma, a primeira coisa a ser feita é identificar o que é e-commerce e marketplace.

O que este artigo aborda:

E-commerce e marketplace são diferentes?

Um e-commerce é o que chamamos de loja virtual. Você compra um domínio, desenvolve sua página, deixa ela customizada com a sua identidade e até pode criar um blog para criar conteúdos relevantes.

Aumentar vendas de e-commerce

A responsabilidade de mantê-lo no ar e fazer as atualizações são do próprio lojista. Assim como disponibilizar as várias formas de pagamento. Quer exemplos de e-commerces de sucesso?

  • Chilli Beans
  • Apple
  • Tiffany & Co

Já o conceito de marketplace é um pouco mais complexo, mas não é difícil. Proponho que imagine que exista um shopping virtual que é composto de uma infinidade de pequenas lojas. Esse “shopping” é o que chamamos de marketplace e o lojista administra uma unidade, o que equivale a uma loja.

A responsabilidade de fornecer plataforma, manutenções, manter no ar e formas de pagamento são do marketplace e não do vendedor. Quer exemplos de marketplace?

  • Mercado Livre
  • Magazine Luiza
  • Amazon

Por último, mais uma questão interessante que pode ser a sua: qual a diferença entre loja virtual e loja online? A resposta é… Nenhuma! Trata-se de formas diferentes de se referir a mesma coisa.

Agora que você já sabe a diferença entre e-commerce e marketplace, está na hora de descobrir como incrementar a sua renda aumentando o número de vendas.

5 dicas para aumentar vendas de e-commerce

1. Publicidade bem direcionada

Se existe algo mais frustrante para o vendedor do que trabalhar arduamente e não vender, eu não conheço. Principalmente para quem atua em marketplaces, no qual seu concorrente pode ser o sucesso em vendas do mesmo produto que você comercializa.

Sem os anúncios certos, seus produtos podem nunca chegar ao topo dos resultados de pesquisa ou alcançar os clientes certos. Por isso, se você, lojista, deseja aumentar a visibilidade e as vendas, uma estratégia forte em marketing forte é imprescindível.

E como fazer isso em um shopping virtual? Desfrute ao máximo das oportunidades de publicidade oferecidas pelos marketplaces. E nada de economizar. Tire o escorpião do bolso e patrocine os anúncios com maior probabilidade de sucesso.

E para quem tem e-commerce, como funciona? Invista no Google Ads e também mostre a sua marca por aí. Afinal, quem não é visto não é lembrado.

2. Conteúdos otimizados

Como assim , “otimizados”? Já ouviu falar em SEO — Search Engine Optimization —  (Otimização de Mecanismos de Busca) e em como ele impacta nos seus negócios?

Sim, a forma como você se comunica com o comprador é muito importante. Se você não informar o nome do produto de forma correta, usando as palavras-chave adequadas, o seu concorrente certamente o fará e se destacará.

Dessa forma, procure otimizar seus textos para que fique mais fácil para o cliente encontrar seus produtos tanto pelas páginas de busca quanto para os marketplaces. Por isso, atente-se em:

  • ser claro e objetivo no título principal do produto facilita as buscas;
  • evite colocar nomes criativos nas coleções, anuncie exatamente o que seu produto é. Por exemplo, seu cliente não sabe o que é a “coleção solar brilhante”, mas ele sabe muito bem o que são óculos escuros;
  • faça descrições incluindo a palavra-chave principal. Por exemplo, você vende óculos escuros, logo, essa palavra-chave deve ser inserida na descrição do produto também;
  • as imagens no e-commerce e no marketplace também devem ser otimizadas. Por isso, coloque a palavra-chave no alt text das fotos.

3. Construa uma história com seu consumidor (experiência do cliente)

Construir uma história ou estreitar laços exige jogo de cintura, disciplina e uma boa dose de rotina. Essas práticas devem ser exaltadas:

  • responda rapidamente os questionamentos dos clientes por meio do SAC do e-commerce ou no espaço de perguntas e respostas do marketplace;
  • mantenha a postura e seja compreensivo caso receba reclamações. Jamais os deixe sem respostas;
  • ofereça vantagens como desconto na próxima compra ou frete grátis, se possível;
  • não demore para enviar a mercadoria;
  • ofereça a oportunidade para o consumidor acompanhar o envio da compra;
  • apresente uma boa embalagem e um mimo, como um bilhete agradecendo a compra.
  • ofereça uma política de trocas que seja agradável tanto para você, lojista, quanto para o comprador.

4. Preços competitivos

Criar uma estratégia de preços bem fundamentada é essencial para o sucesso na sua loja no mercado. Afinal, o preço é um dos pontos decisivos para efetivar a compra. Se você deseja ajustar os preços com base na concorrência, saiba que não é só isso que deve levar em consideração.

Se não quer sacrificar sua receita você deve prestar atenção no seguinte:

  • volume de vendas do item;
  • se há muitas trocas;
  • se comprar em grandes quantidades você ganha um desconto;
  • se o seu adversário é uma loja que obtém vantagens em comprar essa mercadoria, como descontos progressivos ou por quantidade.

5. Abandone as metodologias analógicas

Isso quer dizer que, para conseguir crescer com seu e-commerce e marketplace é preciso render-se à tecnologia. E eu não estou falando em comprar um bom celular ou computador, mas em automatizar o atendimento e outros processos que são repetitivos.

Processos que se repetem exaustivamente, como emissão de notas fiscais, são verdadeiros ladrões de tempo. Esse precioso espaço de tempo poderia ser muito bem utilizado para investir em uma boa campanha de marketing ou estreitar laços com seu cliente.

Por fim, agora que você sabe o que é e-commerce e marketplace, assim como sabe quais são as 5 principais estratégias para aumentar as vendas, está esperando o quê? Desejamos boas vendas e muito sucesso!
Este texto foi escrito pela equipe do olist, uma solução completa para lojas que querem vender online de forma prática e profissional. Com milhares de lojas parceiras em mais de 180 países, o olist tem ferramentas que facilitam a criação de loja virtual, a venda em marketplaces e a operação logística no e-commerce. Conheça o olist.

Lucas Ferraz

Especialista em SEO, aumento de tráfego e geração leads com mais de 310 campanhas no portfólio. Certificado pela Blue Array Academy e pela SEMRush.

1

Pode ser do seu interesse

Como aumentar o engajamento no Instagram? Aprenda

Como aumentar o engajamento no Instagram? Aprenda

Como ganhar seguidores no TikTok? Aprenda

Como ganhar seguidores no TikTok? Aprenda

Alcance no Instagram: o que é e como aumentar

Alcance no Instagram: o que é e como aumentar

Como vender livros na internet

Como vender livros na internet

Marketing digital para corretores de imóveis

Marketing digital para corretores de imóveis

Como fazer gestão de presença online

Como fazer gestão de presença online