terça-feira, 5 de julho de 2022 - 05/07/2022 01:22:59
Portal Útil

Você sabia que desde o ano de 2021 a educação financeira é uma lei no currículo escolar do Brasil?

O Projeto de Lei 3145/20 conclui a obrigatoriedade da inclusão da educação financeira como tema transversal no Ensino Infantil, Fundamental e Médio. E, essa medida, tem como objetivo fortalecer o crescimento econômico no país.

Afinal, com conhecimento financeiro de qualidade, é possível vislumbrar um país mais maduro e com futuro promissor! Mas, como aplicar essa competência escolar nas instituições de ensino?

Visto que, a prática é relativamente recente, as escolas enfrentam alguns desafios na hora de implementar a educação financeira no currículo. Para te ajudar, elencamos algumas dicas e trouxemos mais informações sobre o assunto!

O que este artigo aborda:

O que é educação financeira?

A educação financeira é a compreensão sobre os processos financeiros, tudo que é relacionado ao dinheiro e seu funcionamento é ensinado com essa competência. Sendo assim, os alunos tornam-se capazes de fazer melhores escolhas quando o assunto é finanças.

Educação financeira nas escolas

Neste sentido, parte da aprendizagem é bastante prática, são abordados temas como: juros, poupança, taxas selic, inflação e vários outros conhecimentos que farão parte da vida do aluno.

Dessa forma, é possível auxiliar na tomada de decisão financeira consciente e inteligente. Afinal, quanto mais educado(a) financeiramente uma pessoa for, mais confiante será a utilização do dinheiro.

Além disso, com a educação financeira, é possível otimizar processos de investimentos de valores para aumento de riqueza, corte de gastos e aumento de receitas. Assim, o conceito do dinheiro “trabalhar para você” torna-se uma prática real na vida das pessoas.

Mas, o grande desafio dessa prática nas escolas é saber como aplicar conceitos tão complexos. Para te ajudar, elencamos algumas ações possíveis dentro do cenário educacional.

Como aplicar a educação financeira nas escolas?

Assim como a maioria das competências, a educação financeira nas escolas não é ensinada somente através de exposição de casos, mas sim, com conceitos e prática.

Um bom caminho é procurar por práticas que trabalhem questões comportamentais como planejamento, paciência, persistência, trabalho em equipe e constância. Claro que, cada um desses aprendizados têm a hora certa de acontecer.

Na educação infantil, por exemplo, trabalhar a autonomia e gerar estímulos empreendedores na criança são a chave do plano de ensino. Já no ensino fundamental, a educação financeira é mais prática, aqui os estudantes têm a possibilidade criar e construir objetos que são comercializados.

Esse caminho vislumbra conhecimentos que vão desde o levantamento de custos, até o balanço financeiro.

Para te ajudar ainda mais, elencamos alguns exemplos práticos mais comuns:

Jogos temáticos

Essa maneira de aprendizagem é extremamente vantajosa, visto que, é uma forma lúdica de apresentar os temas para os estudantes. Bons exemplos são o Banco Imobiliário e o Jogo da Vida, que, com adaptações, podem ensinar crianças até pré-adolescentes.

Com os jogos temáticos é possível estabelecer uma familiaridade com a economia e uso de dinheiro.

Exemplos práticos

Seja em rodas de conversa ou nas aulas de matemática, os exemplos do dia-a-dia são ótimas formas de aplicar a educação financeira nas escolas. Dessa forma, é possível analisar os hábitos de consumo que já estão na rotina do aluno e esmiuçar conhecimentos sobre gastos.

Fábulas

As fábulas sempre ensinam lições para os alunos e são uma maneira eficaz de introduzir diversos assuntos para os pequenos, incluindo a educação financeira. Esse gênero mexe com a imaginação e também é uma maneira lúdica de trabalhar diferentes temas.

Um dos exemplos mais famosos, que é uma excelente demonstração prática, é a famosa fábula “A Cigarra e a Formiga” que demonstra toda a importância de poupar o dinheiro para garantir estabilidade no futuro.

Projetos destinados à educação financeira

Os projetos são aliados essenciais para o aprendizado, pois, além de engajar mais os alunos, com esse método é possível tratar de temas que parecem impossíveis em sala de aula.

Vale a pena conferir as opções de projetos com foco em atividades financeiras, principalmente as relacionadas à realidade dos alunos, com a simulação de situações reais envolvendo dinheiro e a realização de compra e venda.

Qual a importância da educação financeira nas escolas?

Muito mais do que uma ferramenta para entender a economia do país que estão inseridos, a educação financeira é essencial para desenvolver comportamentos como a disciplina, organização, auto controle, perspectiva temporal e até mesmo autoconhecimento.

Afinal, essa competência deve ir muito além de puramente informações sobre sistema monetário e matemática financeira, visto que, o acesso facilitado à informação é uma realidade, mas, mesmo assim, a população brasileira enfrenta desafios financeiros.

Com o desenvolvimento das habilidades comportamentais supracitadas, é possível vislumbrar novos ares para o país, mas para isso, é necessário que crianças e jovens aprendam desde cedo sobre as finanças.

Outro ponto bastante importante da educação financeira, é trabalhar a expectativa de futuro dos alunos e os sonhos de cada um deles, colocando sempre o planejamento financeiro e conhecimento econômico como a chave para alcançar esses objetivos.

Qual o papel da escola e do professor?

Além de preparar os alunos para o futuro, como foi supracitado, o professor deve, primeiramente, conhecer o que a BNCC diz sobre a educação financeira nas escolas, para, posteriormente, elaborar seu planejamento.

Outro ponto importante para os professores é imaginar que os conceitos financeiros a serem ensinados não podem perder de vista a realidade dos alunos para construir o aprendizado e prepará-los para o futuro.

Sendo assim, utilize ferramentas que fazem parte do cotidiano dos estudantes e situações que possam ser aplicadas à condição social que eles estão inseridos.

O papel da escola é assegurar que os conhecimentos financeiros estão sendo ofertados com a maior qualidade e alinhado com os jovens. Mas, para que isso aconteça, é preciso tratar o assunto com a importância devida, sem abrir mão do lado criativo e lúdico.

Afinal, é comum que educação financeira seja associada a um assunto complexo e chato, sendo assim, desconstruir essa ideia é um grande passo -e grande desafio- para fazer a manutenção do interesse dos alunos neste tema.

Para isso, é preciso buscar aliados em todas as áreas!

Não somente com uma comunidade escolar mais próxima, mas com a otimização de toda a rotina que não está ligada ao desempenho escolar, como software de gestão de processos educacionais, organizadores de rotina, consultoria pedagógica e outras soluções do setor educacional.

Há diversos desafios a serem enfrentados para se alcançar uma educação de excelência em nosso país, e que não estão apenas relacionados ao ensino. A inovação dentro da rotina escolar também é um grande reforço para alcançar objetivos de aprendizagem.

O conteúdo "Educação financeira nas escolas para o desenvolvimento do aluno" foi feito por Redação Portal Útil e distribuído por Portal Útil na categoria Educação em .

Redação Portal Útil

Estamos sempre em busca de assuntos para escrever artigos e guias para direcionar os nossos leitores à solução de um problema cotidiano.

1

Pode ser do seu interesse

Carro elétrico com painel solar: tudo o que você precisa saber

Carro elétrico com painel solar: tudo o que você precisa saber

Como saber se um e mail é verdadeiro ou falso?

Como saber se um e mail é verdadeiro ou falso?

Tablet Huawei é bom?

Tablet Huawei é bom?

Como morar no Estados Unidos legalmente?

Como morar no Estados Unidos legalmente?

Dicas de SEO para blog

Dicas de SEO para blog

Como reaproveitar janelas velhas na decoração?

Como reaproveitar janelas velhas na decoração?